Mutismo Seletivo


O Mutismo Seletivo, segundo o DSM-V, consiste numa Perturbação de Ansiedade caracterizada pela ausência de discurso verbal em determinadas situações sociais específicas, por exemplo, na escola. Esta ausência de comunicação verbal só se observa em determinados contextos e está habitualmente relacionada com a presença de indivíduos e/ou situações não familiares.




É uma condição voluntária e não está relacionada com a falta de conhecimento/linguagem requeridos para a situação social. Estas crianças não apresentam nenhuma perturbação da comunicação e a mesma não ocorre exclusivamente em conjunto ou no decurso de uma outra perturbação do neurodesenvolvimento.


A criança deverá apresentar:

Não produção da fala de forma consistente em situações sociais especificas, nas quais existe uma expectativa para falar, como é o caso da escola, sendo a criança capaz de o fazer noutras situações.

A relutância de discurso não é explicada pela não-familiaridade com o idioma ou com uma perturbação da linguagem expressiva.

Os sintomas da perturbação ou o posicionamento dos cuidadores em resposta aos mesmos, podem afetar a criança e a família das seguintes formas:

  • Causando sofrimento à criança. Interferindo com os relacionamentos da criança.

  • Limitando o envolvimento da mesma nas atividades ou rotinas expectáveis para a sua fase de desenvolvimento.

  • Limitando a capacidade da criança para aprender e desenvolver novas competências ou na sua própria progressão de desenvolvimento.

Características diagnósticas associadas:

O evitamento social, sofrimento social e/ou o medo de falar com pessoas desconhecidas estão normalmente associadas ao Mutismo Seletivo. Antigamente este era visto como um comportamento de oposição seletivo, em vez de uma condição emergente de ansiedade grave.


As crianças mais pequenas com Mutismo Seletivo podem apresentar:

  • Expressão facial neutra, com poucos sorrisos

  • Birras

  • Timidez extrema

  • Pouco contacto visual

  • Dificuldade de adaptação a mudanças

  • Problemas de sono

  • Humor depressivo ou irritável

São frequentemente diagnosticados sintomas físicos como dores de barriga ou cabeça e náuseas. A hipersensibilidade sensorial é também frequente nestes casos.

A idade média de início de sintomas é entre os 3 e 4 anos ainda que os diagnósticos tenham maior prevalência em crianças de idade escolar.


Em caso de suspeita de diagnóstico devem ser descartadas dificuldades na compreensão da linguagem ou falta de competências linguísticas. As crianças pequenas com Mutismo Seletivo poderão ser, erradamente, diagnosticadas com uma Perturbação do Espectro do Autismo, visto que em ambas as perturbações podem estar presentes situações de mutismo ou dificuldades sociais. Sendo que numa criança mais nova com Mutismo Seletivo não é comum estarem presentes comportamentos de repetição como acontece numa PEA.


Como referido, o Mutismo Seletivo não tem que estar, obrigatoriamente, ligado a uma perturbação do neurodesenvolvimento infantil. É necessário que seja feita uma avaliação por um profissional de saúde, antes de qualquer diagnóstico. O diagnóstico precoce é sempre o mais aconselhável, devendo ser realizado por uma equipa multidisciplinar que permitirá elaborar o perfil da criança e implementar estratégias futuras.

9 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo